God Bless Stupidity

Carros velozes, armas, mulheres e vilões. Falando assim, você não chega nem perto de entender o que é o filme. Deixe-me explicar melhor. O carro veloz é o Camaro roubado do vizinho, as armas são as pistolas de guerra, as mulheres são a ex-mulher, filha e uma colegial e os vilões são todas as pessoas imbecis. Muito sutil ainda? Bem, isso porque God Bless America (2011) não é uma história clichê, e portanto, não tão fácil assim de resumir. Vamos por partes.

Atualmente, o mundo ocidental vive uma era de liberdade, de direito à expressão, onde todos podem dizer o que quiserem e serem recompensados por isso. Ou ridicularizados. Pelo menos, quando sua liberdade condiz com os limites impostos. Veja bem, você é livre até onde te permitem ser. É com essa linha de pensamento tipo “Clube da Luta” que começa a história de Frank Murdock (Joel Murray).

Frank sofre de enxaqueca e um desprezo pela sociedade. Não um desprezo total, mas por algumas coisas como reality shows, noticiários e talk shows que mostram o pior das pessoas. Pessoas que são desrespeitosas, crianças mal educadas, políticos mentirosos, religiosos intolerantes. Uma sociedade onde a liberdade de expressão é usada e abusada por uns e inibida por outros, onde há uma deturpação dos valores morais, onde pais não sabem educar seus filhos sem mimá-los, onde não é possível ir a um cinema sem alguém sendo inconveniente. Seus vizinhos são insuportáveis, seus colegas de trabalho são insuportáveis. Seu chefe… bem, é um chefe. A única pessoa no prédio inteiro com quem ele sente algum interesse em ser amigável é a recepcionista. Para Karen (Brendalyn Richard, a bondade de Frank é tão assustadora que ela se sente “assediada moralmente”. Ser amigável com uma pessoa causou a demissão de Frank, pois como seu chefe bem explicou, existe a política de tolerância zero. Seja amigável, mas faça-o em outro lugar, Frank. Com essa linha de pensamento e acontecimentos, junto com o fato de ter sido despedido, ter um tumor terminal e sua filha detestar sua companhia, Frank sente que deve fazer algo a respeito com o tempo que lhe resta. Aproveitar a vida e se livrar de pessoas ruins e insuportáveis no meio do caminho.

Seu primeiro alvo, Chloe (Maddie Hasson), uma adolescente mimada com um episódio próprio em um reality show, lhe rende também uma comparsa, Roxy (Tara Lynne Barr). Roxy é uma colegial que assiste a execução de Chloe, que compartilha da visão de mundo de Frank e que após apelar para o lado emocional do atirador ao contar a história de sua mãe viciada e o namorado dela que a estuprava, o convence a levá-la em sua viagem pelo país, aproveitando a vida e atirando em cabeças. E assim começa a viagem. Entre líderes religiosos, jornalistas que espalham terror ou simples babacas em estacionamento, são todos alvos fáceis. Desde “O Profissional” não se vê uma dupla tão bem conectada e armada. “Bonnie e Clyde” contra a imbecilidade moral.

God Bless America pode muito bem ser dita uma sátira do estilo de vida americano, mesmo porque, seu gênero é considerado como “comédia” pelo IMDb. E como comédia, é um grande documentário. Mas é também um belo filme de realização pessoal. Um filme bem dinâmico, com bastante contraste, uma trilha sonora respeitável que vai de Alice Cooper a The Kinks, e que mostra o que muitos de nós já quis fazer ao menos uma vez na vida. Ou duas.

Com dois personagens que beiram a psicopatia, e muitas referencias culturais, musicais, cinematográficas, literárias e enfim, este filme com certeza fará com que você se identifique com suas personagens e seus ideais, mesmo que você não saia roubando carros e estourando miolos.

~Pedro Dias(@NoAereo)

___________________

God Bless America, dirigido e escrito por Bobcat Goldthwait e produzido pela Darko Entertainmaint (companhia do diretor de Donnie Darko) e Jerkschool Productions.

Músicas:

Black Rebel Motorcycle Club: http://grooveshark.com/s/Beat+The+Devil+s+Tattoo/2PEO67?src=5

The Kinks: http://grooveshark.com/s/I+m+Not+Like+Everybody+Else/3KiO6K?src=5

Anúncios

Cuspa pensamentos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Política em Blog

Por Leonardo Távora | Para entender e discutir a política!

World Fabi Books

Mundo alucinado de Fabi

%d blogueiros gostam disto: